I made this widget at MyFlashFetish.com.

8 de abril de 2012

Como ser uma mulher poderosa em vez de medrosa?



 No Brasil, infelizmente ainda existe um número vergonhoso de mulheres sendo abusadas, desrespeitadas e subjugadas. E muitas, ao contrário do que a maioria pensa, tem nível superior de educação. Nas que tiveram menos educação, posso compreender (sem concordar) a falta de autoestima. Mas nas que tem a chance de se educarem, queria saber até quando vão suportar essa situação.







Quero deixar bem claro que este artigo foi intencionalmente escrito para contribuir e não para julgar ou justificar. Acho absurdo o número de mulheres no Brasil e no mundo que sofrem por este tipo de desigualdade social. Quero deixar minha opinião registrada sobre esse câncer social.
Essa é a palavra que falta para os machistas, os que acham que mulheres tem que ser tratadas de qualquer jeito.


Será que vamos conseguir vencer os obstáculos em relação ao machismo somente reclamando que os homens não nos respeitam e que não há leis severas o suficiente para diminuir o número de abusos alarmante neste país?



E quem foi que nos disse que somos do sexo frágil? Um homem ou uma mulher? E isso é verdade?

Seremos mais poderosas ainda quando aprendermos a ser feliz em toda a extensão da palavra sem esperar que os homens nos deem o devido e merecido respeito. Sei que isso é possível simplesmente por que vivo feliz desde que escolhi ser assim, com ou sem um homem pra me dar o aval da felicidade completa.
 Quando escolhemos algo com paixão e devoção, é garantido que conseguimos.

 Nelson Mandela, enquanto estava no cativeiro, nunca disse a um repórter que estava preso, mas que estava se preparando para o dia em que seria livre e se tornaria um dos líderes mais inspiradores da história da humanidade.


Na minha opinião, enquanto não cuidarmos de nós mesmas, aprendendo sobre nossos desejos mais íntimos e nossos sonhos mais altos, sem esperar que os homens nos respeitem primeiro, a injustiça social contra a mulher não vai acabar...

 






Nenhum comentário:

Postar um comentário